Seleção das moldeiras

Para permitir individualização, as moldeiras utilizadas devem ser metálicas e provadas antes da sua personalização com cera.

Personalização das moldeiras e obtenção de retenções nas áreas personalizadas

Corte uma lâmina de cera-utilidade em tiras de 0,5 cm de espessura com o auxilio de um estilete

Aqueça a tira de cera na chama da lamparina, posicione a borda externa da moldeira e conduza o conjunto à boca do paciente.

A moldeira deve assegurar retenção suficiente para que o alginato não se desloque durante a remoção do molde.

Preparo do Paciente

Para a moldagem, o paciente deve estar preferencialmente sentado

Realize a remoção da placa bacteriana e de tártaros em sessão anterior à da moldagem

No dia da moldagem, uma profilaxia inicial deve ser realizada para reduzir a tensão superficial

Proporcionamento e manipulação do material

O material selecionado para esta técnica é o alginato

Sua proporção água/pó deve seguir rigorosamente as recomendações do fabrigante e é garantida pelo uso de dosadores

Para aumentar o tempo de trabalho do material, utilize água destilada resfriada

A espatulação deve ser realizada entre 45 segundos e 1 minuto, com movimentos ciruclares vigorosos de amassamento da espátula contra o gral de borracha

A mistura obtida deve ser uniforme, lisa, brilhante e sem grânulos

Preenchimento, inserção da moldeira na boca e tempo de espera

A moldeira deve ser preenchida em toda a sua área sem muito excesso

Com a ponta do dedo indicador, aplique uma pequena quantidade de alginato sobre as superfícies dentais oclusais e incisais e no fundo das fossas e sulcos para diminuir a incorporação de ar e possiveis bolhas no molde

A moldeira deve ser introduzida lateralmente para possibilitar o afastamento da bochecha

A moldeira é centralizada e assentada da região posterior para anterior, impedindo que ocorra escoamento do material para a gargante.

Nesse momento, oriente ao paciente que respire apenas pelo nariz.

Remoção e análise do molde

O molde deve ser removido entre 2 e 3 minutos após a geleificação do alginato, pois, após esse mtepo, as propriedades de resistência e elasticidade do material melhoram significativamente, favorecendo a remoção do molde, sem rasgamentos do material

A remoção do molde deve ser realizada com um movimento rápido, em uma única direção.

Moldes não devem apresentar bolhas, rasgamentos e deslocamento do material.

Preparo, recorte e desinfecção dos moldes

Os excessos de alginato deve ser recortados com uma lâmina de bisturi nº 11 ou um estilete

Nos moldes mandibulares, a região referente à lingua deve ser preenchida com um guardanapo úmido, e uma porção de alginato deve ser manipulado para preencher adequadamente esta região, cuidando para que a área fique lisa

Os moldes obtidos devem ser lavados em água corrente, removendo restos de saliva e sangue. Depois, devem ser desinfetados com hipoclorito de sódio a 1%. Os moldes devem ser novamente lavados em água corrente para eliminar restos do agente desinfetante.

Vazamento, remoção e recorte dos modelos de gesso

O vazamento dos moldes de alginato deve ser imediato. O gesso indicado para a construção de um modelo de estudo é o gesso-pedra tipo III ou especial tipo IV

Colocando as primeiras porções de gesso manipulado na região palatina, para que, sob vibração, escorram e preencham gradativamente o molde. Após preencher a porção referente aos dentes, retire o molde do vibrador e acrescente porções maiores de gesso, agora com a espatula plástica, para formar a base do modelo que deve apresentar no mínimo 2,0 cm de altura

O conjunto molde/modelo deve ser mantido no umidificador até a separação entre 45 a 60 minutos após o vazamento. Durante a remoção deve ser realizado com um movimento delicado e em uma única direção, de acordo com a inclinação dental.


Referências Bibliográfica

Próteses odontológicas: uma visão contemporânea, MAZIERO, Cláudia Ângela, 1ed, São Paulo: Santos, 2013